Notícias da comunidade

Milionário português acusado de tentar matar mulher alega legítima defesa

O empresário português acusado de tentar matar a mulher num quarto de hotel em Vigo, em Espanha, em 2016, alegou esta quinta-feira, no início do julgamento no tribunal de Pontevedra, que agiu em legítima defesa.

Carlos Inácio Pinto garantiu ao tribunal que se defendeu da vítima que o atacou com um maço de calceteiro quando se preparava para tomar banho.

No início do julgamento, que começou cerca das 9 horas (10 horas em Portugal continental) no tribunal de Pontevedra, o milionário natural de Viseu explicou que deu um empurrão na vítima e, como o chão da casa de banho estava molhado, a mulher caiu para trás, sofrendo leões provocadas pela esquina da banheira e pelo puxador da porta daquele compartimento.

Assegurou ainda que a mulher se levantou duas ou três vezes e que a voltou a empurrar para se defender de novos ataques. Disse sofrer de problemas cardíacos que o impedem de fazer esforços, referindo que a mulher é mais forte do que ele.

O caso remonta a 2 de maio de 2016. O empresário e a vítima, casados desde 2015, viajaram para Vigo no dia anterior.

O homem, de 59 anos, está acusado de tentativa de homicídio e, de acordo com a acusação, o Ministério Público espanhol pede uma pena de prisão de 12 anos, por considerar que o empresário agiu “com a intenção de acabar com a vida” da mulher, de 29 anos, e que o arguido seja também condenado a dez anos de proibição de se aproximar da vítima, com controlo por pulseira eletrónica, assim que saia da cadeia.

Mostrar mais
MaisLusa

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Close