Notícias da comunidade

Rui Pinto: “Portugal apenas me quer silenciar. Têm medo”

Rui Pinto, responsável pela revelação de documentos ligado ao futebol mundial num caso conhecido por Fooball Leaks, afirma que em Portugal não terá um julgamento justo.

“Conheço a propaganda portuguesa. Estão a tentar passar-me por criminoso, por pirata informático, mas podem dizer o que quiserem”, começa por dizer Rui Pinto, entrevistado em Budapeste pela revista Der Spiegel, em conjunto com o site Mediapart e a NDR, rádio e televisão alemã.

“Não posso divulgar o que tenho no meu computador, mas uma coisa posso dizer: as autoridades europeias deveriam vê-lo. Mas as autoridades portuguesas não, porque não querem investigar os crimes, apenas querem usar o material que encontrei contra mim”, acredita o homem que tem feito manchetes em Portugal, depois de ter sido detido na Hungria e por, alegadamente, ser o responsável pela divulgação de emails do Benfica.

“No final de dezembro, foi divulgada informação confidencial da maior sociedade de advogados de Portugal, chamada PLMJ, e a polícia acha que estive envolvido nisso”. O que seria apenas um ordem europeia para investigar, tornou-se num mandado de detenção, afirma Rui Pinto, numa entrevista divulgada em Portugal pelo jornal “Expresso”. “Foi chocante!”.

O alegado hacker dos emails do Benfica afirma que, no momento em que foi abordado pela polícia húngara e pela Polícia Judiciária, estava a colaborar com as autoridades francesas, ia iniciar uma colaboração com as autoridades suíças e, possivelmente, “outra colaborações”. “De repente, Portugal sabotou tudo. Sabotou porque têm medo de que eu saiba demasiado. Acho que Portugal apenas me quer silenciar e o que tenho no meu computador portátil. Têm medo.”

“O sistema judicial português não é inteiramente independente; existem muitos interesses escondidos. A máfia do futebol está em todo o lado”, acusa.

Sobre o caso Doyen, em que é suspeito de extorsão, Rui Pinto diz apenas que contactou o fundo de investimentos para testar a sua reação e que não recebeu dinheiro. “Queria saber quão valiosos eram estes documentos para eles”.

Garantindo que não é um hacker, mas “um denunciante”, Rui Pinto afirma que não tem agendas escondidas. “Sou um grande fã de Ronaldo, adepto do F. C. Porto, mas isso nunca me impediu de partilhar informação relevante”.

Mostrar mais
MaisLusa

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Ver também

Close
Close